Percevejo

Print page

1. Descrição morfológica

Geralmente, dois pares de asas; peças bucais perfurantes e sugadoras em forma de um bico (face) que normalmente é mantido sob o corpo. A metamorfose é geralmente incompleta, com fases de ovo e ninfa.
Insetos ovais, achatados, com asas anteriores muito curtas e funcionais; sem asas traseiras; face alojada num sulco ventral; tarso com 3 segmentos; exclusivamente sugadores de sangue.
Características das espécies e hospedeiro/habitat:
Percevejo das camas (Cimex lectularius)
Adultos com 5 mm de comprimento; castanho avermelhado, ficando vermelho-púrpura depois de se alimentar; antenas bem desenvolvidas; olhos proeminentes simples; pés com garras que permitem escalar superfícies rugosas, mas não lisas; relação entre a largura da cabeça (incluindo os olhos) e o comprimento do terceiro segmento antenal geralmente superior a 1,7.

2. Distribuição geográfica

Hospedeiro/habitat:
O hospedeiro principal é o homem, embora também parasite noutros animais de sangue quente. Pode ser encontrado nas divisões das casas em todo o mundo. Incapazes de voar, os percevejos devem ser arrastados ou passivamente transportados em roupas ou, mais provavelmente, em bagagens, móveis, livros e outros objetos usados como refúgio. A sua capacidade de resistir durante vários meses sem se alimentar aumenta as suas hipóteses de sobreviver a essas formas de transporte, e a prova disso é a ampla distribuição destes insetos em todo o mundo.

Embora os percevejos possam invadir qualquer casa, é mais provável que as infestações ocorram apenas em edifícios com baixos padrões de higiene. Consequentemente, os percevejos são geralmente associados a condições de pobreza, sobrelotação e falta de higiene.

A maioria das infestações por percevejos das camas ocorre em zonas residenciais, geralmente nos quartos. Os estágios juvenil e adulto partilham costumes e passam a maior parte do tempo escondidos em fendas e sulcos, dos quais não saem até ser noite, geralmente pouco antes do crepúsculo, para se alimentarem do sangue dos hospedeiros adormecidos. Os seus esconderijos estarão perto dos locais onde os hospedeiros dormem - na estrutura da cama ou colchão, móveis, atrás dos rodapés ou papel de parede - em qualquer local que ofereça a estas criaturas noturnas um paraíso escuro para passar as horas do dia.

As infestações ocorrem principalmente em áreas com alta concentração humana, como hotéis, residências e colónias de férias.

Em climas temperados, os percevejos das camas atingem o seu pico demográfico no início do outono. Nestas datas, coexistem todas as fases do ciclo de vida. À medida que a estação fria se aproxima, a sua atividade diminui, a postura dos ovos cessa e o desenvolvimento de formas juvenis diminui.

Os percevejos das camas hibernam principalmente quando são adultos, porque os ovos e as ninfas são mais sensíveis às baixas temperaturas e morrem no início do inverno se não estiverem em locais aquecidos.

3. Relevância como praga

Os percevejos das camas não são considerados transmissores de doenças, mas a sua atividade de sugar o sangue pode provocar fortes irritações em algumas pessoas, acompanhadas de perturbações do sono, letargia e apatia, principalmente em crianças. Alguns casos de deficiência de ferro em crianças são devidos a um ataque maciço de percevejos das camas. A picada geralmente causa uma inflamação dura e esbranquiçada, diferente da pulga, que deixa uma mancha vermelha escura rodeada por eritema. Cada pessoa reage de maneira diferente às picadas e algumas são imunizadas.

No entanto, a aversão provocada por estes insetos é provavelmente mais relevante. Os excrementos conferem a característica aparência manchada dos seus refúgios, e as suas "glândulas fedorentas" impregnam as salas infestadas com um cheiro característico e desagradável a amêndoas. Além disso, apenas o simples facto de pensar em ser vítima dos ataques destas criaturas é suficiente para a maioria das pessoas agir imediatamente para as controlar. Os percevejos das camas podem até levar à formação de bairros marginais, afastando os proprietários com níveis aceitáveis de higiene, enquanto que as pessoas menos preocupadas com estes problemas permanecem.
É interessante ver que existem muitos fatores que favorecem a manutenção das populações de percevejos: as técnicas modernas de construção, que facilitam o acesso entre propriedades adjacentes; a crescente utilização do aquecimento central, que favorece a alimentação e proliferação contínua durante o inverno, ou o comércio de móveis usados, que amplia a sua distribuição, contribuem para a manutenção dos níveis populacionais.

4. Ciclo de vida

Os ovos dos percevejos das camas são levemente curvos, medindo entre 0,8 a 1,3 mm de comprimento e 0,4 a 0,6 mm de largura e aderindo às superfícies dos refúgios, geralmente em grandes quantidades. Os ovos não chocados são brancos pérola, opacos, enquanto que os ovos chocados, que permanecem no lugar por muito tempo após a eclosão, são opalescentes e translúcidos. A temperatura e a disponibilidade de alimentos têm um efeito marcante na produção de ovos, de modo que, em condições ideais, a postura é quase contínua, numa proporção de cerca de 3 por dia. Foi calculado que cada fêmea pode depositar de 150 a 345 ovos ao longo da sua vida adulta.

As ninfas recém-eclodidas não têm mais de 1 mm de comprimento e, como todos os estágios da ninfa, são muito semelhantes aos adultos, exceto pelo tamanho e cor. Os primeiros instares tendem a ser de cor âmbar, enquanto que a cor dos adultos é castanho escuro.
Cada ninfa precisa de uma ração completa de sangue antes de passar para o próximo estágio.
Apesar das diferenças de tamanho, principalmente devido aos alimentos disponíveis, que podem aumentar até 6 vezes o peso do percevejo, o comprimento aproximado de cada um dos cinco estágios ninfais é: estágio I, 1,3 mm; II, 2,0 mm; III, 3,0 mm; IV, 3,7 mm e V, 5,0 mm.
Na última muda, aparecem as asas rudimentares.

A velocidade de desenvolvimento do ovo para o adulto e a sua longevidade variam de acordo com a temperatura e os alimentos disponíveis. Se forem alimentados com frequência e as temperaturas ambientes forem normais (aproximadamente 18 a 20 °C), os adultos vivem cerca de 9 a 18 meses, os ovos eclodem em 10 a 20 dias e o ciclo inteiro dura de 9 a 18 semanas. Nestas condições, as ninfas alimentam-se a cada 10 dias e os adultos semanalmente.
Se necessário, ambas as formas podem sobreviver por um longo período sem se alimentarem. A baixas temperaturas (13 °C), os adultos podem sobreviver sem comida até um ano.

Em habitações sem aquecimento, onde a temperatura fica abaixo dos 13 °C no inverno, a postura, as mudas e a alimentação são interrompidas e a população diminui à medida que os ovos e as ninfas jovens morrem. Sob essas condições, apenas é desenvolvida uma produção por ano. Se as temperaturas não caírem tão acentuadamente, a reprodução poderá continuar ao longo do ano e durar duas gerações.

5. Medidas de controlo

Em todas as infestações, especialmente as recém-estabelecidas em casas com um bom nível de higiene, é aconselhável determinar o foco para aplicar os métodos apropriados. A extensão da infestação deve ser detetada por uma inspeção cuidadosa dos locais infestados, já que as medidas de controlo necessárias dependerão do facto de a infestação ter sido estabelecida e se ter espalhado por todos os locais, ou de ser de ocorrência recente e de provavelmente estar mais localizada.

As medidas de controlo devem ser aplicadas conscientemente e em todos os refúgios. Se a infestação vier de ninhos de pássaros, será necessário tratar os ninhos e é aconselhável fechar o prédio à entrada dos pássaros.

a) Higiene/gestão

Embora um alto nível de higiene e limpeza doméstica não seja um método de controlo adequado, permitirá detetar a presença de percevejos mais cedo e facilitará o seu controlo.
Os percevejos só proliferam se a sua presença for tolerada. Se houver suspeitas de que existem, uma inspeção cuidadosa da cama, das costuras do colchão, por detrás da cabeceira, etc. deve revelar a sua presença. Pode ser útil pulverizar levemente nessas áreas com um spray à base de piretróides, pois isso forçará os insetos a sair dos seus esconderijos.
A descoberta de ovos ou restos de ovos e as manchas pretas dos excrementos também são indicativas da sua presença. A roupa de cama (por exemplo, lençóis) e roupas de vestir infestadas devem ser lavadas ou queimadas, e os tecidos das divisões infestadas também devem ser cuidadosamente lavados. É necessário prestar particular atenção à remoção de pó, penugem e resíduos dos refúgios, por exemplo, fendas, ranhuras, costuras de tecidos, botões de colchão, etc.

b) Controlo por inseticidas

Para erradicar a infestação, será necessário tratar a fundo os locais com inseticidas adequados, incluindo camas, outros móveis e os refúgios nos tecidos das divisões infestadas. É aconselhável contratar especialistas em controlo de pragas, porque a deteção e o tratamento cuidadoso de todos os esconderijos dos percevejos é um trabalho que requer experiência.

Outros Produtos

Inseticida

Deltagard® FL

Suspensão concentrada

Inseticida de largo espetro, eficaz no controlo de...

Mais info
Inseticida

K-Othrine® WG 250

Granulos dispersíveis em água

Inseticida para insetos rastejantes e voadores. ...

Mais info
Inseticida

K-Othrine® Partix™

Inseticida com a nova tecnologia de formulação Partix TM...

Mais info